01 maio, 2010

Le Fée Verte

Ano passado, em uma fase meio de brisas e sei lá o que, escrevi esse poema (ou tentativa de poema, rsrs) que está ai em baixo.
Por mais díficil que pareça de acreditar, NÃO, eu não estava gostando de ninguém na época, apenas saiu, rsrs...

Sem mais delongas:



Le Fée Verte

Assim como bebida forte,
Que entra em seu sistema e lhe altera os sentidos;
Assim como veneno,
Que corrói o corpo e a alma
E lhe destrói aos poucos...
Assim é o efeito de seu toque em meu corpo
De seus lábios nos meus,
De suas carícias,
De seus abraços.

Bebida viciante, quente,
Que me invade o corpo e transtorna a mente.
Sua fala, seus movimentos,
Coisas da qual já me tornei dependente, e não consigo viver sem.
Necessidade de doses diárias de ti,
Para sossegar o anseio em meu peito.

Veneno mortal, dizimador,
Que me tira a paz.
Faz minha vida girar apenas em torno de ti,
Pouco a pouco matando todo o resto.
Vejo apenas você,
Sinto apenas você,
Vivo apenas por você...

Queria poder me livrar desse sentimento...
Dessa necessidade...
Do meu amor...
Da minha Fada Verde...
Le Fée Verte.

(Leilah Augusta Brazys Nogueira – 1º/03/2009)

2 comentários:

Isis Dettweiler disse...

Eu acho tão lindo *-*

Fada verde :B

Liah disse...

Eu acho bizarro :D